canais de conteúdo

Por que corporações estão comprando canais de conteúdo?

Magalu compra Jovem Nerd. Centauro compra Desimpedidos. Hubspot compra The Hustle. Por que tantas empresas estão comprando canais de mídia e conteúdo? Neste episódio de Growthaholics, Pedro Waengertner conversa com Felipe Collins, CEO da Future Dojo, e Gabriel Ferreira, Head de Conteúdo da Future Dojo, sobre o futuro desse movimento, se existe realmente um propósito em tudo isso e ainda, como fica o jornalismo com essas aquisições. Ouça agora!

Comprar canais de conteúdo faz sentido para quem?

Não é porque uma empresa tem dinheiro que ela deve comprar um canal de conteúdo. Não deve ser uma decisão baseada apenas em achismos ou números de determinado portal. É preciso levar em conta tanto o que você ganha como comprador de mídia assim como dono do canal de mídia.

Por isso, existem dois ângulos nas operações de M&A. Decisões mais frias e racionais que precificam canais de conteúdo como 5x a receita. Porém existe outro lado. Existem métricas como engajamento, perfil do usuário, aspectos mais ligados à reputação do canal. Estes fatores são tão importantes quanto aspectos quantitativos e monetários.

Mas de fato quem deve comprar um canal de conteúdo? O primeiro fator é que não é só sobre ter uma receita a mais. Fazer dinheiro apenas com conteúdo jornalístico pode ser difícil nos dias atuais. Por isso, ter um canal de conteúdo faz sentido para quem existe dentro de um ecossistema. Ou seja, quando você tem outras unidades de negócio que o canal de conteúdo pode alavancar, seja por meio da mídia tradicional ou o marketing de conteúdo.

Veja também >> 7 livros sobre liderança para ler em 2021 <<

Publicidade e Jornalismo: o que esperar agora

Publicidade e jornalismo sempre andaram de mãos dadas. Porém, com a transformação da publicidade, com os novos canais de mídia, empresas jornalísticas perderam suas principais fontes de renda. É por isso que esse modelo pode estar fadado ao fracasso.

O setor jornalístico precisa começar a pensar em novos modelos de negócio que não dependam da publicidade. E além disso, é preciso pensar na pureza editorial. Afinal, no mundo atual, quando cliques são cada vez mais valorizados, um conteúdo muito fora da curva pode não atrair o público em geral.

Para saber sobre esse assunto que promete muita transformação, ouça o episódio completo!

Conheça também a Future Dojo, escola que nasceu da união entre ACE e EXAME para destravar o crescimento de pessoas e negócios com as habilidades necessárias para transformar o futuro.

Compartilhe este conteúdo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram