Como se organizar para 2021

Como se organizar para 2021?

Nossa capacidade de adaptação é testada todos os dias, seja nos negócios ou em qualquer outra área de nossas vidas. Em situações frequentes, os caminhos que estavam claros para nós se desfazem na nossa frente e precisamos pensar em outras formas de realizar nossos objetivos. Lembra quando a pandemia da Covid-19 atacou e muitos negócios tiveram que mudar seus planos? No início de 2020, o AirBnB já pensava em abrir seu IPO. Mas com a queda das buscas por hospedagens, tiveram que mudar o rumo da sua companhia, e abriram o IPO apenas ao final do mesmo ano. Por isso, neste texto vamos abordar mais sobre como se organizar para 2021.

Muitas vezes nós nos adaptamos naturalmente, sem tirar os aprendizados de forma clara, e se preparar para o que pode acontecer no futuro. Assim, trouxemos uma forma técnica para você se planejar e alcançar o seu Eu do Futuro.

>> Ouça agora: Como inovar na carreira em 2021? <<

Como se organizar para 2021

Antes de tudo, você precisa começar analisando o que já aconteceu. Primeiramente, faça um Retorno de Experiências. Busque as experiências que mais te marcaram no último período. Puxe pela memória de forma visual: quais foram as situações mais marcantes? O que aconteceu em cada uma delas? Como foi o comportamento das pessoas ao meu redor? E o meu? O que aquela situação me ensinou a fazer, ou ao menos, nunca mais fazer?

Seja como for, essas experiências são grandes marcadores para você poder projetar os próximos passos do seu Eu do Futuro.

Veja também >> 7 livros sobre liderança para ler em 2021 <<

Da mesma forma, determine e analise o que você ativamente buscou aprender ano passado?

  • Quais foram os livros que você leu?
  • Quantos webinars nesta pandemia você assistiu?

Por outro lado, caso você tenha cansado de assistir a webinars com a variedade de encontros virtuais que foram feitos no último período, ou ficou com preguiça de ler aquele livro, pense em outras formas com as quais você aprendeu. Por exemplo, dados do Spotify revelam que o consumo de podcasts dobrou no segundo trimestre de 2020. Muitos deles possuem conteúdo de alta qualidade, como o Growthaholics. Pois então se pergunte:

  • Quais podcasts você escutou?
  • Ou mesmo, quantas mentorias e novos contatos você buscou?

Já conseguiu responder às perguntas do passado e do presente? Ótimo! Portanto, está na hora de olhar para o próximo ciclo.

De trás para frente

Para nos organizarmos bem, vamos fazer um exercício de engenharia reversa. Quem você será no final do ano? Quais evoluções você espera para este ano.

Agora, vamos usar uma ferramenta muito conhecida na definição e análise de personas (essas mesmas, aquelas que definimos como os clientes nos trabalhos de desenvolvimento de novos negócios). Por isso, pense que o você do futuro é essa persona, e use o mapa de empatia como guia:

Para ajudar, vamos canalizar nossos esforços com algumas perguntas:
  • O que o eu do futuro vê? Com quais ambientes essa pessoa se relaciona? Quem são as pessoas ao redor dela e o que essas pessoas aportam? Por onde ela transita? Para cada resposta, adicione um “Por que minha persona está inserida nesse contexto?”
  • O que essa pessoa escuta? O que as pessoas próximas a mim falarão sobre mim? E aqui não estamos exercitando o seu ego do futuro, mas os feedbacks e elogios são um possível marcador de avanço, e te ajudarão a criar o seu mapa do eu do futuro.
  • O que, daqui a um ano, eu estarei falando sobre e fazendo? Não se trata do cargo, e sim do conteúdo. Pergunte-se: Quais assuntos eu irei dominar? Quais eu poderei manter conversas sobre? Como será meu comportamento com os outros? Como me portarei frente às situações? – lembra daquelas situações que você aprendeu que nunca mais quer agir daquela forma? Se ela se repetir, como você irá agir? O que irá falar?
  • O que o eu do futuro pensa e sente? Estamos falando agora do seu eu interno. Dos seus valores. E como você pode chegar onde quer chegar de forma sustentável e que não te cause dor. Quais serão minhas reais preocupações? O que realmente importa para o meu eu do futuro?
Agora virão as perguntas mais difíceis.
  • Olhando para esse seu eu do futuro, quais são os reais ganhos para você? Por que chegar neste lugar é tão importante e o que chegar lá representa para você e para o ambiente no qual você vive?
  • Enfim, olhe para as suas dores de agora. Você provavelmente está projetando saná-las no próximo ciclo, ao menos àquelas que você pode controlar. Com a resolução dessas dores, surgirão novas. Novas barreiras, novos desafios. Então vamos desde agora pensar em quais podem ser. O que o eu do futuro terá de dor? Quais são os problemas que essa pessoa estará enfrentando? E por fim: será que tem uma forma de mitigar esses problemas desde já?

Para entender quem você quer ser, tudo o que foi colocado ali, de forma abstrata precisa se tornar palpável. Por último, analise seu mapa e responda:

  • Quais são as habilidades que eu preciso adquirir? Quais são os comportamentos que preciso me livrar?

Com essas respostas, busque referências de pessoas que são, na sua percepção, mestras naquele assunto. Busque por elas. Ou seja, os livros, conteúdos, podcasts que podem me auxiliar nesse processo, quais são? Busque por eles.

Tenha objetivos

Portanto, trace um objetivo palpável, dentro da sua realidade para cada uma dessas habilidades. E comece pequeno. A máxima do lean se aplica aqui também. Você fará experimentos pequenos, e testará apenas uma variável nesse momento, de forma ágil. Por exemplo: tenho uma reunião com um público difícil, e preciso construir uma nova visão com eles sobre determinado assunto. A habilidade que quero exercitar é a persuasão. Qual o formato irei testar para me comunicar com esse público? Defina, e teste. Após a reunião, colete o resultado de forma palpável. conseguimos criar uma nova visão conjunta? Tivemos dificuldades? Quais os aprendizados?

Leia este artigo do sócio da ACE

Seguindo a linha de testes você poderá gradualmente aumentar a dificuldade dos seus experimentos, e poderá, de fato, estar mais próximo do seu eu do futuro.

*escrito por Mateus Quelhas, Head of Innovation and New Ventures na ACE

growthaholics

 

Compartilhe este conteúdo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram