Comunidades e marketing de influência: o que podemos aprender com o BBB

Já que estamos em clima de reta final… Que tal falar sobre como o Big Brother Brasil utiliza o marketing de influência e as comunidades para se adaptar às necessidades de consumo atuais? Neste episódio de Growthaholics, Pedro Waengertner conversa com Felipe Oliva, CEO da Squid, e Rafael Fernandes, Community Manager em ACE Cortex. Vem com a gente!

O poder do marketing de influência 

Em 2020, o Big Brother Brasil (BBB) inovou no formato do programa e atingiu números recordes de engajamento do público e de marcas. A ideia foi trazer influenciadores para compor o time de participantes, que antes era formado apenas por anônimos. A estratégia seguiu a lógica de mercado, uma vez que utilizou os milhões de seguidores desses famosos para formar a base de telespectadores do programa antes mesmo dele ir ao ar. Dessa forma, foi possível utilizar as técnicas do marketing de influência, que garantiram o bom desempenho do reality show, não só em audiência, mas também ao trazer retorno para as marcas apoiadoras.

A rede de lojas C&A, por exemplo, sendo uma das maiores patrocinadoras do programa, vendeu cerca de 80% do estoque de peças de roupas em uma hora após uma ação feita no BBB. Esse é um caso que deixa claro o poder do marketing de influência quando bem aplicado. O que podemos aprender com toda a estratégia utilizada pelo Big Brother Brasil?

Quer saber mais sobre como essa estratégia? Ouça o episódio completo!

Compartilhe este conteúdo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram