líderes mulheres

Líderes mulheres: 5 exemplos inspiradores em 2021

A participação feminina em posições de liderança é bem menor em comparação à masculina, e isso não é nenhuma novidade. Porém, a falta de representatividade não prejudica a existência de grandes exemplos de líderes mulheres nos quais podemos nos inspirar para mudar esse cenário.

Mas antes, aqui alguns números para nos situarmos da situação:

  • Segundo o IBGE, com a pandemia, 8,5 milhões de mulheres deixaram a força de trabalho no terceiro semestre de 2020;
  • No cenário mundial, o Brasil ainda ocupa o 25° lugar no quesito mulheres em altos cargos, com apenas 39,4% dos cargos ocupados por mulheres, de acordo com a OIT;
  • Em 2020, a ACE também realizou uma pesquisa sobre o perfil dos founders de startups brasileiras. Apenas 10% dos fundadores são mulheres (você pode acessá-la clicando aqui);
  • Embora as mulheres sejam a maioria na comunidade universitária brasileira, elas ainda ganham 20% menos que os homens em funções iguais.

É válido lembrar que os números são ainda piores quando adicionamos outros espectros, como condições socioeconômicas, a questão racial e LGBTQ. E o Brasil não está sozinho nessa de superar grandes desafios. De fato, todo o mundo ainda enfrenta ess eproblema, em maior ou menor grau. Por exemplo, mesmo sendo uma das maiores potências do mundo, os Estados Unidos contam com apenas 38 mulheres CEOs na Fortune 500.

Entretanto, devemos nos lembrar sempre dos bons – apesar de poucos – exemplos que temos. Que tal conhecer mais sobre mulheres que merecem destaque?

 

Sonia Syngal – CEO da Gap Inc

Sonia Syngal é uma executiva canadense-americana. Apesar de ter nascido na Índia, mudou-se para o Canadá ainda jovem. Graduou-se em Engenharia Mecânica pela Universidade de Kettering. Passou por multinacionais como a Ford.

Foi CEO da Old Navy, uma subsidiária da Gap Inc de 2016 a 2018. Durante esse tempo, levou a empresa a faturar Us$ 8 bilhões, expandiu a companhia para mais de 1200 lojas e outras conquistas. Atualmente, é CEO da da Gap Inc – empresa presente na Fortune 500 – desde março de 2020.

 

Tânia Cosentino – Presidente da Microsoft Brasil

Tânia Cosentino é uma paulistana cheia de conquistas. Tem uma longa carreira em grandes empresas. Trabalhou por 19 anos na Schneider Electric, no qual por 10 anos atuou como presidente da unidade brasileira e da América do Sul.

É presidente da Microsoft Brasil desde 2019, onde tem o desafio de impulsionar a inteligência artificial e o machine learning no país. Em 2017, foi a única latino-americana a ser reconhecida pela ONU por seus trabalhos à frente da sustentabilidade.

 

Indra Nooyi – ex-CEO da PepsiCo 

Indra Nooyi é uma indiana com muitos cursos e cargos importantes no currículo. É bacharel em física, química e matemática, além de mestre em administração pública e privada. Começou sua carreira profissional na índia trabalhando na Johnson & Johnson. Passou por outras empresas como a Motorola e em 1994, ingressou na PepsiCo.

Em 2001, tornou-se presidente e em CEO em 2006, ficando até 2018, onde deixou um legado. Teve a missão de liderar a reestruturação da companhia, incluindo a aquisição de outras empresas como Gatorade e Quaker Oats Company.

 

Sonia Bueno – CEO Latam da Kantar 

Sonia Bueno é administradora especializada em Marketing com mais de 30 anos de experiência. Desenvolveu sua carreira no mercado de pesquisas e comportamento dos consumidores. Passou por grandes empresas como a Nielsen e Research International.

Atualmente, é CEO Latam da Kantar, divisão da Worldpanel, líder global em painéis de consumo. Desde 2016, também é presidente da empresa.

 

Rosalind Brewer – CEO da Wallgreens

Rosalind Brewer é uma executiva estadunidense, uma grande líder e 48ª mulher mais poderosa do mundo, segundo um levantamento da Forbes. Faz parte da primeira geração de sua família a frequentar a universidade. A trajetória de Rosalind por grandes empresas é longa e está prestes a ganhar uma nova conquista.

Já atuou como CEO do Sam’s Club e foi a primeira mulher negra a liderar uma divisão do Walmart. Também é a única diretora negra do conselho da Amazon. Foi diretora de operações da Starbucks e agora em 2021 se tornou a primeira mulher negra a dirigir uma das maiores empresas de capital aberto da América desde que Ursula Burns deixou a Xerox em 2016.

 

Veja também >> Como inovar na carreira em 2021? <<

E essas são apenas algumas lideranças femininas incríveis dignas de prêmios e reconhecimentos. Apesar da evolução a passos lentos, estamos caminhando para um mercado de trabalho com mais igualdade de gênero. Cabe a todos reconhecer estes talentos e principalmente criar ambientes seguros e que forneçam chances iguais, independente de gênero, cor, etnia, orientação sexual e idade.

growthaholics

Compartilhe este conteúdo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram