mentoria startup

Mentoria: o impacto na trajetória de uma startup

O que é uma boa mentoria e qual o impacto dela na trajetória de uma startup?

Ser mentor é ceder voluntariamente parte do seu tempo para ajudar a endereçar dores latentes, pontos cegos ou gaps de competência ou experiência e gerar impacto positivo em negócios e na vida de fundadores. A mentoria é uma das atividades mais nobres que alguém poderia se dispor a fazer.

Depois de mais de 7 anos conectando mentores e startups e milhares de mentorias realizadas, chegamos a um racional de como é possível gerar ainda maior salto de performance com o mesmo esforço, e o que caracteriza um bom encontro sob perspectiva de ambos os lados.

Como o mentorado e mentor devem se preparar

Ter uma boa preparação é fundamental para se aproveitar ao máximo a mentoria. Enviar materiais de apoio, bem como expor com clareza os problemas a serem resolvidos, são contexto fundamental para garantir uma conversa mais aprofundada.

Quanto mais “on board” estiver o mentor, mais tempo ele pode dedicar para ajudar o empreendedor e mais insights ele vai gerar com antecedência.

Do lado do mentorado, compartilhar alguns principais materiais de apoio são importantes.

Por exemplo:

  • Caso queira melhorar o processo de vendas, mande como o processo funciona, qual o funil de vendas, e quais as taxas de conversão e tempo de vendas.
  • Se quer melhorar a chegada de leads, envie a jornada de compra do cliente e resuma antecipadamente sua estratégia e canais de aquisição.
  • Em caso de dúvidas sobre fundraising, envie sua estratégia, visão, projeções financeiras, use of proceeds, pitch deck e mais.
  • Se quer reforçar a gestão da empresa, mande um diagnóstico de como as coisas funcionam hoje em termos de rotinas, rituais, incentivos e acompanhamento de métricas.

Processo de Fundraising: Como funciona o processo de análise de investimento da ACE?

Além do contexto ao mentor, também é bom ter contexto sobre ele. Por vezes, a experiência prévia do executivo ou empreendedor com outros pontos além do inicial podem agregar muito mais à conversa ou à startup.

Ler os materiais da startup e fazer alguma “lição de casa” analisando a empresa, o mercado até o perfil dos founders são boas práticas da parte do mentor.

Como fazer uma boa mentoria

Uma boa mentoria é uma sequência de boas perguntas de ambos os lados e pressupõe segurança psicológica, confiança e confidencialidade desde o início, sem agenda oculta, e com respeito e empatia.

O importante é alinhar as expectativas e tentar identificar o problema assim que possível, pois uma vez que a questão a ser respondida está na mesa, os cenários, alternativas e proposições de solução começam a aparecer com bastante clareza e ritmo.

Considerando que já há contexto por conta da leitura do pre-work, os primeiros minutos servem para criar rapport, confirmar as premissas, encontrar as expectativas do empreendedor e delinear o problema. É importante que o founder explique o negócio sem ficar citando seu pitch, mostrando os problemas e desafios de maneira clara.

O papel do mentor é questionar o founder por uma série de ângulos, para tentar encontrar pontos cegos, estes que podem ser solucionados por meio de testes e ações sugeridas pelo mentor com base em sua experiência, vivência ou cases adicionais – é importante separar o que é expertise do que é opinião/hipótese.

Referências adicionais, casos similares, associações e novas conexões ajudam muito no entendimento e no desenho dos próximos passos. É bom lembrar que mentorar não é repassar fórmulas prontas ou dar ordens, e que nem tudo que já funcionou historicamente necessariamente terá o mesmo efeito dado o contexto da startup.

A conversa segue com perguntas e sugestões e abrindo alternativas até o fechamento, onde há uma priorização de tudo que foi conversado e aquilo se transforma em um plano de ação.

Mentor e mentorado voltam à questão inicial para entender se endereçaram uma solução, e é altamente recomendado que o empreendedor compile as informações e envie também ao mentor, e conversas de follow-up ou novas sessões são altamente recomendadas.

Relacionamento pós-mentoria

Um dos pontos de maior potencial e que muitas vezes ainda é desperdiçado é o relacionamento pós-mentoria. Uma vez construída uma relação de confiança, os próximos encontros entre mentor e empreendedor tendem a refletir em desempenho superior, pois também já há aprendizado dos testes iniciais.

Curiosamente, tanto mentor quanto mentorado sentem “falta” dessa relação, e só depende de ambos para manterem uma linha próxima de comunicação. A primeira sessão de mentoria é apenas o início do relacionamento, que pode seguir de maneira orgânica.
Outras formas de ajudar o empreendedor são por meio do acesso à sua rede de contatos e networking e abrindo portas para a startup. Uma warm intro costuma ter um impacto muito positivo no processo de vendas e posteriormente receita da empresa.

A ACE conta com mais de 150 mentores das mais diversas especialidades e inseridos em diversas empresas e segmentos da economia. Se você quiser se tornar mentor, clique aqui. Se quiser ser avaliado para investimento, clique aqui.

 

Leia também >> Por que a mentoria é essencial para quem inicia um novo negócio<<

 

aceleracao startup

Compartilhe este conteúdo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram