Precisamos falar sobre burnout

Aqui no Growthaholics, você, ouvinte, já nos ouviu falar sobre tudo que é assunto, mas hoje a gente precisa falar sobre burnout. É uma conversa séria e que vem ganhando mais força nos últimos meses, porque foi oficializada pela OMS como doença ocupacional. Hoje, trouxemos dois especialistas no assunto para entendermos melhor como evitar passar por isso na nossa vida pessoal e profissional. Neste episódio de Growthaholics, Pedro Waengertner conversa com Pedro Shiozawa, médico PhD e Co-founder da JUNGLE, e Lara Leite, Head de RH na ACE. Vem com a gente!

O que é o burnout?

Apesar do nome só ter sido cunhado recentemente, a Síndrome do Burnout já convive entre nós há décadas. Também conhecida como “síndrome do esgotamento profissional”, é um distúrbio psíquico causado pela exaustão extrema, sempre relacionada ao trabalho. Ela é a consequência da alta exposição ao estresse e é comum entre profissões com dia-a-dias intensos, como médicos e professores.

Seus principais sintomas são: cansaço mental e físico excessivos; insônia; irritabilidade e agressividade; desânimo e apatia; dores de cabeça e no corpo; isolamento social; pressão alta e tristeza excessiva. Com certeza você já sentiu pelo menos um desses sintomas na sua rotina de trabalho. Por isso, a OMS oficializou em janeiro de 2022 a decisão de classificar a Síndrome de Burnout como uma doença ocupacional. 

Segundo uma pesquisa da International Stress Management Association (Isma-BR), 32% dos trabalhadores brasileiros sofrem dessa doença. Em um ranking de oito países, ganhamos de chineses e americanos e só ficamos atrás dos japoneses, com 70% da população atingida. Por isso, se sentir qualquer um dos sintomas listados por longos períodos de tempo, busque ajuda especializada. 

Quer saber mais sobre o assunto? Ouça o episódio completo!

Compartilhe este conteúdo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram